Medo de Dentista

Medo de Dentista

Quem nunca ouviu um amigo reclamar de medo de ir ao dentista? Ou tem esse medo?

Dados da Sociedade Americana de Odontologia mostram que 3 em cada 10 adultos tem medo de dentista. Não temos uma pesquisa assim no Brasil, mas segundo a minha experiência o índice deve ser semelhante. Existe uma diferença entre o medo de ir ao dentista que a própria pessoa consegue controlar e as fobias odontológicas.

As Fobias Específicas, como o medo de dentista, acometem de 7,2 a 11,3% da população, e são caracterizadas por um medo acentuado e persistente, excessivo ou irracional que ocorre na presença ou antecipação de um objeto ou situação fóbica. Mesmo as fobias têm vários graus, alguns clientes conseguem tratar quando confiam no dentista e este os tranquiliza, mas quando a fobia é muito acentuada, algumas consultas de psicologia se fazem necessárias.

É interessante dizer que a pessoa sabe que o seu medo é exagerado, mas não consegue evitá-lo ou controlá-lo. O motivo é que durante a crise fóbica o corpo libera altas doses de noradrenalina, dopamina e cortisol ( o hormônio do estresse), pois entende que estamos em perigo, e esses neuro-hormônios ajudam a fugir ou lutar, e no impedimento dessas ações, congelar.

Como é algo físico, somente dizer ou pensar em se acalmar não costuma funcionar, ou poderíamos olhar no espelho e nos comandar que parássemos, não é mesmo? Ou ouvir o que o dentista diz para nos tranquilizar e simplesmente parar de sentir medo. Mas quem tem medo sabe que é bem mais complexo do que isso. Por esse motivo precisamos usar técnicas específicas para tratamento de traumas e fobias. Pessoas que sofrem com fobias costumam ser mais ansiosas, gostar de controlar o ambiente à sua volta e estar em um ambiente ou fase da vida onde sofre muita pressão.

início das fobias costuma estar vinculado à algum trauma que a pessoa sofreu em uma fase anterior da sua vida, geralmente na infância, e nem sempre está vinculado ao motivo da fobia atual, isto é, pode não ter nada a ver com ter ido ao dentista. Na terapia, com técnicas como a Hipnose, a Coerência Cardíaca e outras Técnicas Psicossensoriais e com a Psicologia Positiva procuramos dessensibilizar esse acontecimento traumático e aumentar suas habilidades para melhorar a maneira como a pessoa se sente hoje.

 

Dicas para quem tem medo de dentista:

1. Escolha um dentista em quem você confie.

Como em qualquer relação profissional, poder falar abertamente com o profissional sobre os seus temores e ser compreendido ajuda muito a sentir-se mais tranquilo. Se você ainda não tem um dentista de confiança, pergunte a seus amigos ou parentes sobre o dentista deles e veja se a pessoa corresponde às suas expectativas. Muitas pessoas se sentem vulneráveis ao ficar com a boca aberta, sem poder dizer o que sentem, por isso a confiança é fundamental.

 

2. Respire mais devagar.

O medo atua em locais do cérebro muito antigos, pois faz parte do nosso sistema de sobrevivência. Falar para você se acalmar não costuma ter bons resultados, pois a parte do cérebro que “entende” só surgiu muito depois. A parte responsável pelo medo vai entender muito mais fácil sistemas anteriores à linguagem, como a respiração.Uma respiração acelerada significa uma ameaça, uma respiração mais lenta significa que tudo pode ficar bem. Por isso, inspire contando até 5 e expire contando até 5. Essa técnica simples pode ajudar antes e na hora da consulta.

 

3. Faça batidinhas no ponto do Karatê.

Pode parecer estranho, mas funciona. Esta é uma técnica de tapping, ou seja fazer batidas rápidas em certos pontos do corpo relacionados aos meridianos da medicina chinesa ajuda a liberar beta-endorfina e ocitocina, neuro-hormônios antagonistas da noradrenalina e do cortisol, que invadem você quando se tem medo e trazem toda aquela sensação ruim. Faça leves batidas com seus dedos no ponto que fica ao lado da mão, antes de chegar ao dedo mínimo (que a gente vê os praticantes de karatê usarem em seus golpes). Essas batidinhas também ajudam a acalmar.

 

4. Procure um dentista que use sedação consciente com óxido nitroso.

O óxido nitroso é muito bem indicado para medo de dentista, pois acalma a pessoa sem deixá-la inconsciente, podendo ser usado por dentistas que tenham habilitação.

 

5. Usar ansiolíticos antes da consulta.

O dentista pode receitar os famosos calmantes antes do procedimento, com o inconveniente de precisar de um acompanhante e não se saber ao certo quanto tempo vai levar para cessar o efeito.

Essas dicas são para pessoas com medo de dentista, pois pelo que vejo no dia a dia, os realmente fóbicos só conseguem a esperada tranquilidade quando os traumas que causaram essa apreensão são ressignificados. Para fobias muito grandes, algumas consultas de tratamento do medo fazem maravilhas.
É para isso que existe a Happy Life, nós podemos ajudar!

CompartilhePin on PinterestShare on LinkedInShare on Google+Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someone